quinta-feira, 3 de maio de 2012

MITO DA PREGUIÇA DESCOBERTO.

Preguiça no dicionário laranja, autocaracteriza-se como lentidão em fazer qualquer coisa; moleza; morosidade.


Mas desde os tempos da hegemonia inglesa ou até mesmo dos tempos de riqueza portuguesa que existe o acto de não querer fazer nada, isto é, ser totalmente preguiçoso. Mas a questão é, quem foi o responsável que introduziu esse acto na vida dos portugueses actuais?


Depois de muita pesquisa e de muitos livros encontrados nas mais vastas bibliotecas de todo o mundo, cheguei finalmente à resposta tão guardada possível.


Tudo começou no tempo do reinado do Rei Rodrigo Monteiro Castro. Este era inimigo do rei do país vizinho: o rei Joaquim Figueira. Ambos governavam tudo e todos mas é na história do rei Rodrigo Monteiro Castro que o acto da preguiça nasceu. Tudo começou numa viagem entre o norte do país até ao centro onde através da sua carruagem de ouro, atravessou-a em algumas horas. Chegado ao destino, o rei barbudo que batia na sua mulher por esta ter-lhe traído com o Rei Figueira, estava "morto" de tanto cansaço que sentia. O seu filho João Monteiro Castro mais o seu fiel escravo Ambrósio sugeriram uma sesta para recuperar a sua energia. 
- Depois de estar horas e horas sentado sem fazer nada, ainda precisava de ir dormir? - Interrogou Teresa Monteiro Castro, a infiel mulher do rei.
- Estar sempre na mesma posição, cansa! - Exclamou o príncipe João Monteiro Castro.


Teresa Monteiro Castro tinha uma certa razão. O rei teve horas na mesma posição sentado e sem fazer nada. Se dormir resolve a situação, tudo bem porém não era argumento suficiente para Teresa que contra-argumentava:
- Quando uma pessoa dorme, dorme horas e horas na mesma posição. Logo quando acordar vai sentir-se novamente cansado e aí tem de voltar a dormir.

Sem comentários:

Enviar um comentário

ATENTADO A PORTUGAL (LISTA NEGRA)

ATENTADO A PORTUGAL (LISTA NEGRA)
Mas quem é que esta gente é para agora meter-se com Portugal?